O Instituto Cidades Criativas e o Núcleo de Estudos Judaicos da UFMG têm o prazer de tornar público o resultado do II PRÊMIO ISAÍAS GOLGHER (2019-2020) que premia, nesta edição, trabalhos inéditos, não ficcionais, de caráter ensaístico, em língua portuguesa, na área de Estudos Judaicos.

São vencedores do prêmio:

1º. Lugar: A escrita como túmulo na obra de Bernardo Kucinski
Autor: Ricardo Augusto Garro da Silva

2º. Lugar: Félix Nunes de Miranda (1670-1731): um cristão-novo entre dois reinos, duas crenças e duas inquisições
Autores: Daniela Cristina Nalon e Angelo Adriano Faria de Assis

3º. Lugar: A tabela periódica, de Primo Levi: um escritor entre dois ofícios
Autor: Breno Fonseca Rodrigues

Conforme o edital, ao ensaio escolhido para o primeiro lugar será outorgado o prêmio no valor de R$5.000,00 (cinco mil reais); ao segundo lugar, R$3.000,00 (três mil reais), divididos entre os dois autores, e ao terceiro, R$2.000,00 (dois mil reais).

>>> Veja aqui a publicação oficial do resultado.

Top